terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Reti.Sente...

Reticente...
Sentir...
Sente...
Ressentir...
Sentindo.
Muito.
Tudo.
Como sempre.

Estar reticente,talvez seja o pior dos sentimentos.
Pior,porque não identifica o que se passa,nem como tristeza,nem como raiva,nem como nostalgia.
Nem como nada.
Você simplesmente sente,o nada,ou o tudo,ou o nada dentro do tudo,ou...
O tudo dentro do nada.
A ordem dos fatores não alteram o produto.
E se for intenso como eu,provavelmente sentirá tudo com lente de aumento.
Pois é assim,que os sentidos são vistos por meu coração!
Com lupas...
Que me fazem sentir muito,ressentir muito.
E até o não sentir em mim,é muito.
Os espaços vazios são enormes,são abismos.
Os preenchidos,por sua vez,sempre cabem mais.
Eles também são exagerados.
Se é pra ser/existir/sentir/sentindo/sentido/sem sentido/ que seja inteiro.
E no final,ou nem final assim,você descobre que o estado 'reticente' da alma,é um estado em que você identifica,sabe o que é,porém,tem medo de mostrar.
Tem medo de soltar.
Tipo quando se cria um cão preso no quintal,...
Ele passa tanto tempo preso,que não se pode mais soltar.
O tempo preso,'congelado',esquecido 'no quintal'o fez virar um 'monstro'.
Sim,visto pelas lupas.
Assim como os sentidos.,esquecido do lado de dentro...


Ret-sente.
Sente.
Re-sentir.
Sentir.
Muito.Tudo.
O tudo dentro do nada,e o nada dentro do tudo.
Reticente.
...



'Se agregar não é segregar
Se agora for, foi-se a hora
Dispensar não é não pensar
Se saciou foi-se em bora
Quanta mudança alcança
O nosso ser posso ser assim daqui a pouco não
Quanta mudança alcança
O nosso ser posso ser assim daqui a pouco.
Se lembrar não é celebrar...
Dura - lhe a dor quando aflora
Esquecer não é perdoar
Se consagrou sangra agora[...]'
♪♫
"Reticente TM" 


PS: Reticente ou não.Sentindo ou não,identificando ou não...
'A poesia prevalece!'

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Espera,que o Sol já vem


Estou olhando pra esse editor há umas duas horas.
Abro,fecho,abro de novo. Leio textos antigos,leio meus últimos Twitts,e não consigo chegar a um denominador comum.
Olho pra dentro de mim,e não consigo encontrar as coisas organizadas em suas gavetas para poder me expressar.
Acho,que pela primeira vez,eu não sei o que sinto.
Talvez,isso ajude a me incomodar mais com a situação...
Loquei um filme,que por incrível que pareça já vi esse ano. 
Não gostei dele,achei de um péssimo gosto,e os personagens sofrem muito.
Até parece vida real isso...
Começa tudo lindo,vem um 'furacão' e arrasa com tudo,leva tudo.
Depois,lá vai os personagens acabados,tentar juntar o que restou da tempestade.
Juntei alguns restinhos da tempestade assistida no filme,colei os cacos,lixei as sobras que é pra ninguém perceber que foi quebrado/sofrido/machucado pelo furacão/vida...
Arrumei a casa,organizei as gavetas e os filmes assistidos...
Tava uma calmaria boa de se ver,mas eram sorrisos demais,gente feliz demais,e o brilho deles incomodaram.
Incomodaram a ponto de tirarem o filme de circulação.
Uma pena,seria record de público com certeza.
É que sorrisos atraem pessoas;nem todas.
Só as dispostas a trocarem as lágrimas por eles...
É que o filme faria sucesso demais,e a concorrência não suportaria 'perder' pra nós.
Um filme onde os personagens não choram,ou,choram de alegria seria um 'escândalo' pra mídia.
Um filme que faria sucesso sem sofrimento aparente?Fora de cogitação.
Fora de circulação!!!
Recolheram as cópias,recolheram os sorrisos,os abraços,as tardes de partilha.
Recolheram as colas das provas,recolheram as briguinhas,as reconciliações,as noites em claro falando e falando e falando...
Recolheram as 'toalhas' que secavam as lágrimas caídas,recolheram o intercessor,o ensinador,e como ensinava.
E como ensinaria...
E como ensinará...
E como atua bem em todos os filmes que faz...
E como vive lindamente a vida real...
Colorindo a vida alheia...
Trancada aqui dentro de mim,eu vejo pelos vitrais trincados do furacão anterior,o novo furacão passar.
Só espero que esse,por sua vez,não demore tanto a passar.
Tenho coisas importantes a fazer 'lá fora'.
Novos filmes,novos sorrisos...
Tenho de arrancar os 'joios do meio dos trigos'...
E com essa tempestade,fica impossível me exteriorizar,fica difícil sorrir lá fora.
Difícil sorrir aqui dentro.
Difícil de assistir aos filmes/vidas/sofridas.
Difícil crer que novos filmes virão.
Que as coisas serão novamente organizadas em suas gavetas.
Difícil crer que os vitrais serão trocados novamente.
É...
Acho que é melhor eu esperar.Esperar passar pra terminar de ver o filme.
Relâmpagos estragam os eletrodomésticos/sentimentos...
E não queremos isso não é mesmo?!
Assim que passar,cavarei um buraco no quintal,farei um 'esconderijo' que é pra quando outro furacão passar,eu tenha onde me esconder.
Onde esconder meu coração,pra que as lágrimas não mais se confundem com a tempestade.
Ficarei aqui...
Sentada,olhando pelos vitrais trincados,a fúria do furacão...
Logo vem a calmaria,e terminaremos esse filme.
Claro,com final feliz,e dia de sol...
Por falar em Sol,cadê ele?
Espera o furacão passar,e logo ele aparece.

'Espera,que o Sol já vem!'


Metaforicamente,expressando a falta dos raios solares,que iluminavam os dias do lado de dentro do coração!