quarta-feira, 3 de abril de 2013

Me devolve pra mim?


Dá licença que eu vou ali ser eu um pouquinho, porque cansei desse personagem que deram pra eu representar.
Cansei de depender.
Cansei de precisar.
Onde é que foi parar minha auto-suficiência?
Você deve ter levado com você quando decidiu sair da minha vida, quando decidiu ir sozinho e soltou  da minha  mão.
Olhe nos seus bolsos se por um acaso, assim, sem perceber você levou minha vontade de viver.
Olhe ai no meio das coisas que eu te dei, se minha auto-estima está no meio. Eu devo ter te entregado junto aos ursinhos, junto às 'boa noites' desejadas pra ti.
Olhe no seu armário, se minha personalidade perfeitamente medida, não está no meio de suas bagunças.
Procure no cesto de roupas pra passar, se meu amor próprio não está lá.
Procure no meio dos seus livros, se as respostas sempre prontas a dar, não estão impregnadas por entre as páginas, junto com aquela flor que te dei num domingo, lembra? 
Você disse que a guardaria no meio de um dos seus livros preferidos.
Aproveita, e procura no meio desse livro, todos os 'eu te amo' que eu ouvi de você.
Assim, pra eu lembrar de como era bom acreditar neles.
Só pra eu ter o gostinho de ser enganada mais uma vez. 
Pra eu me lembrar de como me permiti ser levada por você...
Dê uma olhada no seu computador, vê se encontra os anexos que te enviei dizendo o quanto você me passava confiança. O quanto eu amava ter em quem confiar, uma vez que a vida já havia me mostrado que não deveria mais o fazer.
Me faz um favor? 
Procura na sua geladeira, aquela caixa de bom bons que eu tanto amava. É fácil de encontrar, ta escrito na caixa que 'você foi minha prioridade por todo aquele tempo'.
Esqueci de te falar... 
...Encima  do fogão, deixei seu prato preferido, todos os meus sorrisos bobos de quando me ligava pra dizer que estava com saudade.
Mas ó, não coma tudo de uma vez, eles podem te engasgar e fazer sua noite terminar umedecida por lágrimas.
Sem querer abusar da sua boa vontade, me devolve pra mim? 
É que quando você foi, eu esqueci de me pegar de volta, e eu to fazendo uma falta danada aqui.
Agora, dá licença?
Que eu vou ali ser eu um pouquinho, porque cansei desse personagem que deram pra eu representar.



terça-feira, 2 de abril de 2013

Tempo...

"Será que é tempo
Que lhe falta pra perceber ?
Será que temos esse tempo
Pra perder?
E quem quer saber ?
A vida é tão rara"
 ♪♫
Por um tempo quis que o tempo passasse rápido, pra que eu ficasse adulta, independente, e realizasse todos os meus sonhos de menina.
Sonhos de menina crescida... Ser bem sucedida financeiramente, viajar o mundo, etc e etc...
Por um tempo, vivi como se tivesse crescido tudo o que tinha pra crescer, como se adulta já o fosse. De personalidade forte, não me importando para nada nem ninguém. Muito menos para o que pensassem à meu respeito.
Não acreditava em contos de fadas, nem tinha paciência para ler livros e livros como as meninas da minha idade faziam.
Nunca gostei de sagas, muito menos 'Crepúsculos', nunca havia parado para ver que cor o céu ficava antes de cair a noite...
Nunca havia parado pra ver a cor dos meus olhos, os da alma, os do coração, muito menos dos meninos que ousassem cruzar meu caminho. 
E ai de quem ousasse cruzar, e parar à minha frente...
Os atropelava sem exitar, sem pensar duas vezes. 
Sim, porque quem ousaria me fazer parar?
Quem ousaria me fazer olhar pra mim? 
Quem ousaria parar meu relógio
Quem ousaria parar na minha vida agitada? 
Quem me impediria de crescer? 
Quem me impediria ter? (Ter em mãos os meus sonhos aparentemente abstratos e distantes). 
Eu queria mesmo era fazê-los concretos e presentes.
Quem diria que o presente (tempo) me faria experimentar parar meu tempo, e ser presente pra alguém?!
Muito menos ter um presente, que não fosse nada do que eu havia pensado ser o melhor pra mim...
É vida, obrigada por me puxar o tapete, e por me fazer cair sentada, e me impossibilitar de locomover-me. 
Mover-me de volta aos meus projetos. 
Mover meu tempo, mover os ponteiros do meu relógio...
"Será que me faltou tempo pra perceber?" ♪♫
Será que me faltou alma? 
Será que me faltou coragem?
Será que me faltou, presença, presente?
Será que me faltou paciência?
Não sei o que me faltou, ou sei e prefiro não falar, não pensar.
Mas sei o que hoje me falta.
Aqueles olhos verdes, que mais pareciam dois faróis a iluminar minha alma, meus crepúsculos, minhas noites... 
E mais, os raios daquele olhar me fizeram parar.
Hoje não vivo o presente, muito menos o futuro. Me prendi como se houvesse uma máquina que o pudesse parar.
Mas na verdade ele não parou, eu que deixei de me movimentar com os ponteiros dos meus relógios.
E que falta aqueles ponteiros parados me fazem.
Que falta aquele abraço eterno me faz.
Que falta aqueles lábios rosados me fazem nos 'amanheceres' em que desperto.
Que falta me faz despertar deitada em teu peito protetor.
Hoje, queria parar no tempo ontem... 
Ante ontem... 
No dia em que nos conhecemos... 
No dia em que nos amamos... 
No dia em que paramos os ponteiros e esquecemos dos meus planos mirabolantes da vida.
Parar o tempo, um minuto antes de tudo escorrer por entre meus dedos, nossos dedos.
A culpa do relógio ter voltado a funcionar não foi somente minha...
"Tempo, tempo, tempo, tempo, entro num acordo contigo." ♪♫
Com o tempo e com o dono dos olhos mais verdes e mais lindos que vi, com o dono do melhor abraço, e melhor beijo já experimentados por meus lábios.
"Será que temos esse tempo pra perder?"♪♫
Será que os ponteiros nos esperam? 
Eles, assim como eu, 'esperam' que você se decida por mim!
Tarde demais? Não.
Nunca é tarde, dependendo do relógio que seguro ou seguras, pra você pode ser 00:00 h. Mas para mim, o dia ainda está na metade (12:00 h). 
E para mim, vai ser sempre tempo, de voltar atras, 'parar o tempo' e fazer um 'novo fim' ao teu lado.
Um novo início de dia juntos...
Vamos parar nossos relógios e começar tudo de novo?
Tik Tak Ti...