terça-feira, 24 de setembro de 2013

Permita-(se) viver


Vida... esse eterno surpreender-se.
Decepcionar-se.
Arrepender-se.
Se...
Se eu não tivesse saído. Se eu não tivesse voltado. Se tivesse feito outras escolhas, outros caminhos, outras pessoas...
Outros 'ses' eu estaria vivendo?
Talvez sim, talvez não.
Mas e se?...
Não tem se. As coisas acontecem como tem que acontecer!
Aparecem na nossa vida, as pessoas certas, na hora certa!
Deus escreve certo por linhas certas!
Não há erros em Seus planos.
Nós sim, erramos. Feio. Ferimos, machucamos, agimos sem pensar, pensamos e não agimos.
Somos O erro.
Mas e se, eu não errasse?
Eu, provavelmente não aprenderia.
Estaria fadada a ser sempre a mesma pessoa. E quem é que precisa de mesmice?
E quem é que não erra? Quem nunca se arrependeu, se decepcionou?
Quem nunca 'se'?
E a vida nos surpreende. E a gente a valoriza, após ter uma arma apontada na sua direção.
O preço? Um celular, e uma pedra de craque.
Mas e se fosse tudo diferente?
Eu certamente não teria descoberto o preço dos meus suspiros, dos meus sorrisos, dos meus sonhos.
Não, eles não têm preço.
Chega de 'ses'. Eu quero viver. Sorrir. Sofrer. Chorar. Me arrepender.
V.I.V.E.R.
Com todos os sons, e passar por todas as linhas escritas por Ele, certas ou erradas, não importa.
O que importa, é que tanto os 'ses', as decepções, os sorrisos, as surpresas, fazem parte da vida.
E se é dela, eu as escolho!
Permito-me viver.

Hoje o tempo voa amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Não há tempo
Que volte amor
Vamos viver tudo
Que há pra viver
Vamos nos permitir ♫♪


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Desgaste de blá blá blá

Cometerás homicídio? Quando começar a pensar já estarás longe. Pense, ame. Sem ser joguete, cacete, sem mal tratar. Ela deixou claro os seus surtos de amor que são engolidos nos seus silêncios pensantes e inteligentes. Sem desesperança. Fique bêbada, corte os cabelos até perder a cabeça. Mas não deixes morrer, não jogue na privada essa rosa e a aliança. Não pagues as contas sozinha, paguem juntas. Não volte para casa, lá não existe vocês. Olhe para trás, e não se esqueça das vivências. Olhe agora, o que é isso? Estamos esgotadas nessa sexta-feira treze do ano treze na hora treze. Espere, porque ela voltará logo. Cederás o que tiver sem entender e sem precisar saber voar. Dança como a bailarina torta, desce do salto ou até o chão, não importa a sua maneira. Sem procura de um novo amor, o amor esta ai. Antes de entortar as pernas e perder um grande amor, dancem. E quando pensa que já não é sua, compulsa essa ideia de ficar avulsa, vasculha a bolsa mas não há remédio que cure. Não se tranque no quarto, não esconda a cara, peça uma dose relaxante onde entenderás os porquês. Misture num copo e sinta o corpo sem sal, leia o signo mas acontece de não acordar. Precisas retomar a sede. Uma dieta de atleta para o cardíaco, uma nova era. Restaure esse desgaste, por favor.

Morato. Letícia

(Vindo de outros planetas, "Tempo silencioso e solitário") 
O Asteroide gosta de visitas! ;)

domingo, 8 de setembro de 2013

Está trancado

Cheguei, e percebi que se trancou ai.
Ei...
Destranque, ou, me tranque ai com você? 
Esses cadeados nos separam e isso não ta sendo legal. 
Não, eu não preciso saber da sua vida, eu só quero participar dela.
Talvez, como nos teatrinhos da infância, eu posso ser a árvore, nem precisa me dar o papel principal.
Eu me contento em ser coadjuvante, ou talvez figurante, só me deixa passar ai pro teu lado e ver a vida do mesmo ângulo que você?
Estar sem papel está me deixando perdida, necessito ter uma função para você.
Do ângulo de cá, a visão está turva e minha miopia está contribuindo pra que eu veja tudo de outra forma.
Ei... 
Destranca esse cadeado e me deixa entrar?
Me deixe novamente deitar no teu colo e sentir o compasso do teu coração? 
Daqui de onde estou não o ouço, muito menos vejo se seus olhos ainda brilham com a minha presença.
O cadeado é grande eu sei, mas posso te ajudar a quebrá-lo em mil pedaços se quiser.
Se quiser... 
Ainda quiser minha presença, e minha visão turva ao  te olhar nos olhos nos amanheceres juntos.
Eu não me importo de estarem embaçados, o pulsar do teu coração batendo junto ao meu, faz com que me sinta segura, e confiante. E mesmo embaçado, o som dele pode  me guiar se acaso apareça obstáculos pelo caminho.
Era assim que me guiava, e hoje, do lado de cá, ando meio perdida sem seu Tum Tum pra me indicar se é esquerda ou direita.
Ei...
Me deixa ser alguém na sua vida?
Pode me trancar ai não tem problema, eu esqueço minha liberdade e me prendo ao tum tum de seu coração. 
Me deixa entrar, e me permita ficar?

...Me deixa ser
A sua estátua
De jardim,
O seu cabide de casacos,
Só não me tira de vez
Da sua casa...♫♪