segunda-feira, 15 de maio de 2017

Mau tempo no Olimpo

Tudo corria dentro da normalidade no Olimpo, não fosse aquele vendaval no final da tarde. Nada se enxergava em meio a nuvem de poeira que subiu, e ali permaneceu por alguns dias. 
Os deuses chegaram a ficar preocupados, uma vez que as musas abandonaram seus cânticos e sopros aos poetas. 
É que a poesia deixa a vida mais leve, e todos já estavam fartos dos fardos pesados que carregavam. 
Afrodite se esfriara e parara de sorrir; Ares, cansado das batalhas, dormiu por dias; Atena, não tinha mais estratégias, e diga-se de passagem, assistiu ao caos sentada. Dionísio por sua vez, manteve-se sob efeito de álcool, não suportava o peso da realidade. Elizabeth, foi ter com Hades, já estava adaptada à realidade caótica de mar bagunçado junto a Poseidon. 
Quem soprara, além do tempestuoso vento, foi  Melpômene, sabia exatamente o que cantar. 
Não se sabe o que Elizabeth faz ali, mas ela sabe que ventanias passam. E que Aeon, ou Chronos, como preferia ser chamado, tudo resolveria-no seu tempo.  


  

Um comentário:

  1. - Ge-ni-al!!!

    Desculpe o sumiço. Prometo voltar mais vezes. (:

    ResponderExcluir

Espaço para as insonias alheias